Páginas

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Balanço 2008

- Acompanhei muito esse oitavo ano da vida do meu filho. O pé quebrado. As aulas de skate. As navegações pela Internet. Os filmes e videogames. Nossos “projetos” (de escola e de farra). As leituras de final de noite (lemos mais de 1.000 páginas juntos).
- Curti mais a vida de casa com a minha eterna namorada. Tomamos novos (e velhos) vinhos. Tentamos. Fizemos e desfizemos nossa horta. Tentamos. Cozinhamos para os amigos e parentes. Fizemos festa. Tentamos. Discutimos. Nos acertamos. Tentamos. Viajamos. Planejamos. E continuamos tentando...
- Acompanhei, de perto e de longe, as mudanças, idas e vindas, dos meus irmãos e irmã (4 no total). Londres, Leipzig, São Mateus, Atenas, Maceió, Amsterdã, Curitiba. Ufa... Torço muito pela felicidade de todos eles. Sofremos, junto com minha mãe, as suas ausências, mas comemoramos todos os reencontros.
- Fazia tempo que não estudava tanto, e com tanta vontade. Fiz o meu básico de aluno CDF que sempre fui, e até dei uma de professor em alguns momentos (coisas da idade). Agora não vejo a hora de defender minha dissertação. Apesar de parecer que o ano passou rápido, têm algumas coisas que parecem que faz tanto tempo (por exemplo as aulas de Métodos Quantitativos...).
- Muitas oportunidades concretizadas no lado profissional. A “Engelbert Corporation” cresceu muito nesse ano, o que me deixou muito feliz. Ao fazer esse balanço, percebo que o sucesso profissional desse ano eu devo aos meus amigos (que alguns chamam de “networking”) e à confiança que eles depositaram em mim e na minha competência. É como digo sempre: “Vão-se as empresas. Ficam os amigos”.
- A participação na rádio, que classifico como lazer mental, começou com uma entrevista, depois passou para uma participação quinzenal e rapidamente para os comentários semanais. O programa me fez conhecer novas pessoas e reencontrar velhos amigos. Muito legal.
- Exercitei a paciência mais que o físico. Cozinhei menos do que gostaria. Li muito mais que em qualquer época da minha vida. Aprendi muitas coisas novas e desaprendi algumas velhas. Viajei menos a trabalho. Dediquei-me fortemente ao ócio criativo. Perdi dinheiro na bolsa. Ganhei dinheiro fazendo o que gosto. Fiz vários novos amigos. Reencontrei alguns antigos amigos. Ajudei e fui ajudado. Desenhei e pintei. Mantive meu blog (relativamente) atualizado. Confirmei minha velha suspeita de que tudo o que eu procurava, não era pra ser encontrado, mas para ser feito.

É isso...
Tomara que consiga manter o pique em 2009.
Se for como 2008... já vai ser ótimo.

Um ótimo 2009 para todos.
Ricardo

Um comentário:

Isabela disse...

Adorei o post!!!
O mais importante é curtir o presente sempre!!!
Aprender com o passado e procurar manter nossas metas...
Gostei especialmente da sua frase que vão se as empresas e ficam os amigos. Qyuem temo amigos tem ouro! Acredito muito nisso e desejo um 2009 cheio de saúde e paz para todos nós , que nossos desejos dse concretizem. Bjos para vc, Maca e Daniel = )